Como surgem as raças?

Já teve curiosidade em saber como as raças de cães surgiram? Eu sempre tive! Há muitos textos na internet, os criadores sempre sabem bem ao menos a origem de suas raças de criação… vou resumir aqui tudo que já li e ouvi sobre a origem das raças!

Inicialmente temos um processo de seleção mais natural e histórico, e por fim, o processo artificial feito pelo homem.

Os artigos variam muito na precisão do tempo mas, acredita-se que entre 15 e 25 mil anos atrás, os lobos se aproximaram dos homens, que ainda viviam em grupos nômades, e uma relação de benefício mútuo surgiu: o lobo passou a ter acesso a comida com menos esforço de caça e os humanos se beneficiaram das habilidades de caça dos lobos. Mas também ambos forneciam proteção um ao outro o que acabou ajudando em suas longevidade, tanto do homem quanto do lobo!

Esse é o momento que os cães domésticos surgiram, quando eles passam a conviver junto ao homem.

Ao acompanhar os movimentos nômades dos humanos, os cães começam a se adaptar as condições do ecossistema, ganhando ou perdendo características, como pelagem, altura, porte…

Ainda nesse período, a principal função do cão era caça e proteção, porém com a fixação do homem e o advento da agricultura e criação de animais, novas funções foram exigidas dos cães, como o pastoreio e até mesmo companhia.

Para conseguir essas novas características o homem passa a escolher quais cães deveriam cruzar, buscando fixar características físicas e comportamentais. Por exemplo, cruzar cães de pelos curtos para obter uma ninhada de pelo mais curto, esses filhotes foram cruzados novamente com outros cães de pelo curto e assim a cada geração os filhotes nascem com pelos mais curtos até que eles se tornaram diferentes de seus ancestrais ao ponto de dizermos que se tratava de uma nova raça. E assim surgiu a seleção artificial, feita de acordo com as necessidades dos homens.

Foram selecionadas características como porte, funcionalidade, temperamento… assim, cães mais agressivos foram usados para proteção e guarda, cães mais calmos para pastoreio, cães mais adaptados ao frio ou calor, cães que ajudavam na caça…

Agora fica mais fácil de perceber que todos os cães tem uma ancestralidade comum, e de certa forma, restrita em relação a quantidade de indivíduos.

Percebam que muitas vezes, para fixar uma característica desejada, os homens cruzavam cães aparentados até que a raça fosse estabelecida, e isso aconteceu principalmente em raças consideras modernas (ou mais novas). É fácil visualizar, retrocedendo na árvore geneálogica que uma raça foi formada a partir de pouquíssimos cães, em geral 3 a 5 cães podem ser considerados os fundadores de uma determinada raça!

Assim fixamos as características desejados mas, por outro lado, podemos fixar também “coisas” indesejadas como doenças e características não visíveis e por isso é de extrema importância que o criador busque constantemente o melhoramento da saúde da raça, buscando seu bem estar e sua longevidade!

Neste ponto é que entram os estudos, exames, avaliações, conceitos como: COI, variabilidade genética, técnicas de cruzas (inbreeding, linebreeding, outcrossing e outbreeding) mas aí já são assuntos para os próximos textos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: